24 de dez de 2009

O segredo do Natal feliz



Por Ed René Kivitz

Feliz Natal!
Como em todos os anos, este desejo será repetido milhares de vezes por estes dias. Desejar que os colegas de trabalho, conhecidos, vizinhos, amigos e familiares tenham um feliz natal é algo automático sempre que a cidade começa a ser iluminada pelas incontáveis luzinhas que enchem o ar de fraternidade.

Mas pouca gente se ocupa em refletir no significado de desejar um feliz natal. Na verdade, a saudação é uma espécie de oração, e expressa o desejo de que alguma coisa boa aconteça, como se o feliz natal! caísse do céu sobre aqueles que cumprimentamos.

Acho mesmo que esse feliz natal! que trocamos é a maneira como prolongamos a crença no Papai Noel. Quando crianças, colocamos nossos pares de meia na janela e, pela manhã, saímos pela casa procurando presentes, não sem antes olhar embaixo da cama. Depois de crescidos, já não esperamos o bom velhinho escorregar pela chaminé, nem penduramos nossas meias na janela, mas continuamos esperando, quase inconscientemente, que o Papai Noel atenda nossas preces e abençoe com um feliz natal! as pessoas que amamos.

Por trás desse feliz natal! pra lá, feliz natal! pra cá, está a noção de que a felicidade existe em algum lugar, como um pacote bonito, numa caixa colorida envolta por laços cintilantes, que alguém - o Papai Noel, o Papai do Céu, o destino, ou sei lá quem ou o quê - pode fazer chegar até nós.

Nossa parte é acreditar, pedir e torcer para que chegue depressa. Não são poucas as pessoas que, enquanto se arrastam em suas vidinhas medíocres, esperam o dia quando alguém baterá à porta, perguntará por elas e então entregará um belo presente chamado “felicidade”.

A verdade é que um feliz natal! não cai do céu. A gente é quem faz o natal feliz. E o segredo está revelado: quem deseja viver um feliz natal deve se entregar, se doar, repartir, compartilhar, entrar na dança da solidariedade, na ciranda da fraternidade, sair ao encontro de abraços, em busca de reconciliações, e fazer o possível para dar aos outros um natal feliz. Para viver um feliz natal é preciso dar ao outro um natal feliz.

O natal é um tempo quando Deus convida todos a que se reúnam ao redor do menino Jesus e, ajoelhados, livres de suas diferenças e superadas suas distâncias, se abracem para contemplar e celebrar a visita do divino que traz em suas asas paz, esperança e amor.

O natal é um tempo quando celebrar se torna sinônimo de servir. O natal é um tempo em que os corações ficam sensibilizados pelas canções dos anjos, constrangidos pela adoração dos magos, encantados pela singeleza de José e Maria, humilhados pela majestade do Deus-menino.

O Natal é um tempo quando a felicidade se faz possível. Não como algo que cai do céu. No natal, quem caiu do céu foi o menino Jesus. A felicidade a gente encontra. Encontra no berço de palha. Ali está a felicidade.

Desejar um feliz natal! significa mais precisamente dizer ao outro: “Desejo que você seja capaz de andar na direção da felicidade do natal”. Para viver um feliz natal! você tem que andar na direção do berço de palha no meio da multidão, pois se chegar lá sozinho, sozinha, não verá o menino Jesus: ele está na face de muitos irmãos e muitas irmãs!

Nenhum comentário: